Leituras que nos salvam

Amo a natureza e os livros. Pela leitura, desde criança, viajei pelo mundo, conheci lugares e culturas,  fui cativada por um maravilhoso jardim secreto… Meu tio-avô, um austero agricultor, ao me ver tomada por um livro sob a sombra do grande ipê-amarelo, dizia categórico: “larga o livro, menina, senão perde a infância!”
Por culpa do coronavírus, quando me canso do trabalho remoto e sinto falta das árvores e das flores, corro para pegar um livro na estante, procurando eleger o que me ajudará a acolher o instante.
Reli O Sol e o Peixe de Virginia Woolf. “E as nossas memórias? Como se formam? São realidade ou ficção? Retratos ou borrões?” Virginia Woolf  influenciou fortemente minha adolescência; em suas narrativas percebi meu temperamento introvertido, minha preferência pelas flores, minha afinidade com a solidão.
As boas leituras oferecem lições importantes. De felicidade e de infelicidade. De medo e de coragem. De egoísmo e de altruísmo. Revelam personagens que causam admiração e outros que provocam aversão, apontando-nos os tipos que nunca devemos nos tornar, porque é essencial saber viver com respeito e compaixão.
Por esses dias, voltei a reler mais um livro: é uma biografia na qual a escritora Andrea Wulf procura resgatar a memória de Alexander von Humboldt, um dos cientistas mais célebres do século XIX.
Ambientalista avant la lettre, Humboldt foi capaz de ver a natureza com a razão e o coração, prevendo há 200 anos que iríamos destruir a natureza. Ele nos ensinou que tudo está ligado. Vivemos numa teia da vida. Se destruirmos nosso planeta, então vamos ser destruídos. Seu exemplo de viver a serviço dos outros e atender ao chamado da ciência nunca foi mais relevante.
Mas voltemos aos livros: a boa leitura nos ajuda a encarar de maneira criativa os dias de quarentena imposta. Sairemos, no mínimo, mais sábios.
Cariños, Eugenia Pickina

Notinhas
No texto, faço uma alusão à comovente história de O Jardim Secreto, de Frances Hodgson Burnett, e cito, na sequência, mais dois livros: Woolf, Virginia. O sol e o peixe – prosas poéticas. Seleção e trad. Tomaz Tadeu. Belo Horizonte: Autêntica Editora, 2016; Wulf, Andrea. A invenção da natureza: a vida e as descobertas de Alexander von Humboldt. Trad. Renato Marques. SP: Planeta do Brasil, 2019.
Pai do Ambientalismo, Humboldt morreu sendo um dos homens mais conhecidos e respeitados do mundo. Numerosos lugares e espécies levam seu nome (um pinguim, um rio no estado de Santa Catarina), sem esquecer, é claro, a corrente de Humboldt…