Inspire o bem…

Minha avó era uma católica ortodoxa. Quando ela despertava de manhã, a primeira atitude era dizer em voz alta a oração de Jesus para começar o dia fortalecida  e encorajada: “Senhor Jesus Cristo, tende piedade de mim”.
Embora eu não seja uma ortodoxa, qual lição aprendi com minha avó? Se meditamos ou, no mínimo, nutrimos um bom pensamento para iniciar o dia, nós o desfrutaremos de uma maneira mais criativa e consciente, pois interiormente estaremos movidos por um estado de ânimo firme e positivo. Eis uma razão importante para começar as coisas como se deve.
Isso se aplica também aos relacionamentos e tudo que permeia a nossa vida.
Por exemplo, no emprego, se você se dedica a ele de modo honesto, impelido por uma boa vontade, empenhado em aproveitá-lo ao máximo, colherá certamente bons resultados ou novas portas se abrirão para você.
Se em um relacionamento com um amigo, você procura ser habilidoso com as palavras, sincero e responsável, tratando a pessoa com gentileza e respeito, os laços de confiança e reciprocidade entre vocês serão fortalecidos, e essa amizade vai cooperar para um crescimento mútuo.
Minha avó contava que quando algo dava errado ou não funcionava no decorrer do dia, ela simplesmente interrompia tudo, se aquietava e em solidão repetia novamente, em voz alta, a oração de Jesus.
Do meu jeito, faço o mesmo. A qualquer instante do dia, a independer da situação, quando percebo que  as coisas não estão indo muito bem, seja na rua, no trabalho, em casa, ou frente à uma dificuldade que afeta o relacionamento com uma amiga ou a filha, por exemplo, me valho de uma estratégia que no geral altera positivamente o rumo das coisas: chamo minha atenção em voz alta. Sem dúvida, corrigir-se no momento certo costuma fazer a maré virar e, como os antigos diziam, ‘a boa sorte retornar’…
O segredo para uma vida inspiradora? É cortar o mal pela raiz, fazendo de tudo para cooperar com o bem ao nosso redor.
Notas de viagem, Eugênia Pickina

Notinha
Uma coisa que atravanca a vida está relacionada ao perdão. Mas quando falamos em perdoar, pensamos logo em perdoar alguém, mas o perdão pode ser em relação a nós mesmos ou a uma situação do passado ou do presente que recusamos a aceitar. No momento em que você se perdoar, sentirá paz, serenidade e crescerá em coragem para viver cada dia sem oferecer resistência, permitindo que a vida aconteça através de você. A essência floral Pine, um dos florais do Dr. Bach, ajuda a remover resíduos emocionais relacionados a sentimentos de culpa ou remorso que mantêm a pessoa presa ao passado. Ademais, é sabido que a culpa fortalece a inabilidade de a pessoa aceitar a si mesma e seguir em frente. Em qualquer caso, o (auto)perdão é a chave para a transformação.